Comerc
21
09
16

Comerc Esco calcula custo-benefício de implantar medidas de redução de consumo de energia

O consumo de energia elétrica de empresas de diversos segmentos pode ser expressivamente reduzido com a adoção de medidas de eficiência energética. “Em um contexto de crise econômica como o que vemos atualmente no país, é comum que as empresas optem por segurar os investimentos. Mas, no caso da eficiência energética, não investir pode significar abrir mão de uma economia relevante”, explica Marcel Haratz, Diretor da Comerc ESCO, unidade de eficiência energética do grupo Comerc Energia.

Por isso, a Comerc ESCO desenvolveu um estudo que calcula qual é o custo de não adotar a eficiência energética em empresas de setores variados. No caso de um shopping center, por exemplo, o custo mensal de não adotar a eficiência energética pode chegar a R$ 315 mil, considerando o consumo de energia por ar-condicionado e iluminação. O cálculo considera o investimento necessário para implantar as medidas de eficiência versus a economia obtida com a redução no consumo de energia. 

A eficiência energética também tem um impacto na macroeconomia. “Em larga escala, a redução no consumo de energia também diminui a emissão de CO2 na atmosfera e a necessidade de novos investimentos na infraestrutura de geração, transmissão e distribuição de energia”, argumenta o executivo.

Desperdícios por ineficiência

Uma parte expressiva da energia utilizada no Brasil é totalmente desperdiçada. Haratz ressalta, por exemplo, que a Usina Hidrelétrica de Itaipu produziu 89.215 GWh em 2015. “Segundo a ABESCO (Associação Brasileira das Empresas de Serviço de Conservação de Energia), desse total, 67% foram totalmente desperdiçados devido a ineficiências no consumo”, informa ele. “Se você pegar uma lâmpada fluorescente comum, de 40 Watts, cuja vida útil é de 8 mil horas, e substituí-la por outra de mesma eficiência luminosa, de LED, a potência necessária é menos da metade (18 Watts) e a sua vida útil é de 40 mil horas”, exemplifica o executivo.

Pagamento do investimento com a economia gerada

Haratz pontua que a Comerc ESCO investe 100% dos recursos necessários para o desenvolvimento e implantação das medidas e o cliente paga apenas uma parcela mensal da economia alcançada.

Confira abaixo alguns exemplos do “Custo de Não Fazer”, elaborado pela Comerc ESCO.

ESCO_1

ESCO_2

compartilhe

veja mais panoramas

Panoramas
Panorama semanal


Tags