Comerc
29
08
17

Mesmo com baixo nível dos reservatórios, Aneel reduz cobrança adicional nas tarifas de energia

z

Em setembro, as tarifas de energia do mercado cativo de energia terão bandeira tarifária amarela. Com o desligamento das térmicas acionadas em agosto, que levaram ao Patamar 1 da bandeira vermelha, a cobrança adicional passará de R$ 3,00 para R$ 2,00 a cada 100 kWh consumidos.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), os fatores que determinaram a decisão foram a melhora das condições hidrológicas nos submercados Sul e Sudeste/Centro-Oeste, junto à ampliação da geração eólica no Nordeste, capaz de atender uma parte significativa da carga do submercado.

Cenário desfavorável

Apesar da mudança da adoção da bandeira vermelha patamar 1 para a amarela em setembro indicar uma melhora no sistema, os níveis dos reservatórios são considerados baixos, exigindo ainda atenção. Segundo o meteorologista da Comerc Energia, Anderlan Siqueira, “para os próximos meses, a previsão é de que em setembro o tempo continue seco em todos os submercados, podendo apresentar chuvas fracas apenas no Sul”. Ainda de acordo com o meteorologista, a partir de outubro, as chuvas devem retornar à normalidade devido à neutralidade do oceano pacífico, que não apresentará interferência dos fenômenos do El Niño ou La Niña até o final do ano.

FONTE: Aneel e estudo Comerc Energia

FONTE: Aneel e estudo Comerc Energia

Neste mesmo período do ano passado, estávamos com bandeira tarifária verde, portanto, sem cobranças adicionais na fatura. Essa diferença deve-se à situação mais favorável tanto das afluências, quanto do nível dos reservatórios na época.

Entenda a metodologia

O modelo de bandeiras tarifárias visa indicar ao consumidor o custo real de geração de energia considerando a situação hidrológica do momento. Sendo assim, quando a situação hidrológica está desfavorável e, consequentemente, o custo da energia está mais caro, o consumidor é sinalizado por meio da cobrança de uma tarifa adicional na conta de luz que é definida pela faixa da bandeira tarifária determinada pela Aneel.

A determinação da bandeira tarifária que será vigente no mês é feita com base na operação adotada pelo Operador Nacional do Sistema (ONS). Se for necessário que usinas térmicas mais caras gerem energia para suprir a carga do sistema, o custo adicional será cobrado dos consumidores. Em contrapartida, se é possível atender o sistema sem utilizar usinas mais caras, não há tarifa adicional a ser cobrada.”

compartilhe

veja mais panoramas

Panoramas
Panorama semanal


Tags